Marginais de batom: jovens que não acreditam nas leis e as infringem abertamente - DE OLHO NA MÍDIA

Responsive Ad Slot


Marginais de batom: jovens que não acreditam nas leis e as infringem abertamente

14 abril 2014

/ DE OLHO NA MÍDIA

Fico espantado com esse caso dessa menina de 14 anos que foi espancada por outras meninas em uma escola em SP por ser bonita - e é uma bela menina mesmo. Para quem não sabe, as agressoras agrediram usando inclusive uma tesoura, com a qual feriram o rosto da vítima (por sorte, sem profundidade) e cortaram seus cabelos longos.


As meninas agressoras têm a mesma faixa de idade da agredida. A polícia relata que mesmo presas para serem enviadas à Fundação Casa (antiga Febem), debochavam da situação, dizendo que logo seriam soltas e que o caso iria "dar em nada".



Impressiona a quantidade de jovens que cometem crimes violentos acreditando em impunidade.


As leis e o sistema de punição à infração dessas leis devem atuar conjuntamente de forma a dissuadir aquele que pensar em violá-las.


Há jovens que não acreditam nas leis e as infringem abertamente. É diferente dos bandidos, que cometem crimes sabendo as consequências. A mãe de uma das agressoras defendeu a filha, segundo a polícia. Esse é o tipo de pessoa que incute nos filhos a descrença na lei. E está cheio de gente assim por aí.


Esse tipo de crime poderia ser evitado se não existissem pais que transmitem aos filhos a crença em que podem cometer excessos que serão poupados. Digo a vocês que crimes desse tipo me preocupam mais do que os crimes convencionais porque é produto de uma ideologia, não da necessidade.


Texto por: Abrahão Crispim Filho

© Todos os direitos reservados 2009 - 2020 - D`Anjos Web Service - DE OLHO NA MÍDIA