Para aqueles que disseram que o trabalhador não poderia assistir aos jogos da copa - DE OLHO NA MÍDIA

Responsive Ad Slot


Para aqueles que disseram que o trabalhador não poderia assistir aos jogos da copa

01 julho 2014

/ DE OLHO NA MÍDIA


A Copa no Brasil é considerada a Copa da inclusão social.


Pela primeira na história do torneio, um governo distribuiu 100 mil ingressos gratuitos à população. Metade deles foi destinada aos trabalhadores que participaram das obras nas arenas, a outra parte foi entregue a alunos de escolas públicas e aos povos indígenas.


Para completar, essa é também a Copa da sustentabilidade: 840 catadores de materiais recicláveis receberam capacitação para realizar a coleta seletiva nos estádios, aeroportos e área com grande concentração de pessoas. Além disso, o BNDES financiou R$ 5 milhões para projetos de gestão do lixo nas 12 cidades-sede.A categoria 4 conta com 400 mil ingressos vendidos exclusivamente para os cidadãos do país.É nela também em que estão os valores mais acessíveis, podendo chegar a R$ 30 a meia-entrada para estudantes, idosos e beneficiários do Bolsa Família.


Em comparação, os bilhetes mais baratos vendidos durante a Copa na Alemanha (2006) custavam o equivalente a R$ 101,00, enquanto na Coreia e Japão (2002) não saía por menos de R$ 154,00. “Nunca tivemos um preço como esse em todas as Copas do Mundo”, disse o diretor de Marketing da FIFA, Thierry Weil. Ele acrescentou que a prática de descontos só foi realizada duas vezes nos mundiais de futebol da FIFA. “É a segunda vez que temos ingressos com desconto. A primeira foi na Copa do Brasil em 1950 e a segunda é agora. Temos que dizer que o governo brasileiro é ótimo negociador”, acrescentou.


Texto por: Abrahão Crispim Filho

© Todos os direitos reservados 2009 - 2018 - D`Anjos Web Service - De olho na mídia / Mk Designer