Morre o poeta e escritor que sempre foi motivo de orgulho para Sergipe - DE OLHO NA MÍDIA

Responsive Ad Slot

 

Morre o poeta e escritor que sempre foi motivo de orgulho para Sergipe

10 dezembro 2014

/ DE OLHO NA MÍDIA
 

Da redação por: Geo D`Anjos

Nem todos os poetas e escritores, apesar da dedicação, conseguem realmente marcar uma geração e servir como inspiração


Araripe Coutinho conseguiu. O poeta e escritor que sempre foi motivo de orgulho para Sergipe partiu no dia 9 de dezembro, aos 45 anos de idade, deixando inconsolados os fãs do belo trabalho que desenvolveu a vida toda.


Araripe Coutinho era carioca de nascimento e sergipano de coração. Nasceu no Rio de Janeiro no ano de 1968, mas foi para Sergipe em 1979, e lá ficou até o fim de seus dias. Um fim precoce, muito precoce. Araripe foi um dos mais célebres poetas e jornalistas de Sergipe e do Brasil todo, construindo um trabalho autêntico e cheio de personalidade.




[caption id="attachment_4389" align="alignleft" width="300"]Foto: Divulgação Foto: Divulgação[/caption]

Foi articulista de alguns dos maiores veículos de comunicação do estado onde viveu, e sempre chocou a sociedade ao debater temas polêmicos com naturalidade e com verdade em suas palavras. Ousadia, irreverência e autenticidade foram apenas algumas das características responsáveis pelo brilho inapagável de Araripe Coutinho. Em Aracaju, onde morava, também teve um programa de TV, que conquistou o público.


É difícil citar as obras mais célebres de Araripe Coutinho, visto que todas elas têm um primor que só pode ser transmitido por um grande artista e ser humano, como ele era. Entre suas poesias mais conhecidas, estão “Face morta” e “O amor jaz”. Coutinho era realmente um escritor completo e publicou livros, como “O demônio que é o amor”.


Com a sua linguagem clara e atual, Coutinho conseguia levar a sua literatura e a sua mensagem para todos, sendo um dos poetas e escritores mais democráticos que o Brasil já viu e de quem sentirá imensa falta. Jovem e com a continuação de uma carreira esplendorosa pela frente, Araripe Coutinho partiu quatro dias antes de comemorar mais um aniversário, que seria no dia 13 de dezembro.


O poeta e orgulho sergipano lutava contra uma toxoplasmose e há informações de que seu estado de saúde vinha piorando. Ele foi encontrado morto no chão do seu quarto, vitima de parada respiratória e, infelizmente, não foi possível salvá-lo. Porém, continua vivo em suas obras, memórias e nos corações brasileiros.


© Todos os direitos reservados 2009 - 2020 - D`Anjos Web Service - DE OLHO NA MÍDIA