Sucesso Mário Britto: a arte não pode permanecer aprisionada - DE OLHO NA MÍDIA

Responsive Ad Slot

 

Sucesso Mário Britto: a arte não pode permanecer aprisionada

10 dezembro 2014

/ DE OLHO NA MÍDIA
 

Por: Geo D`Anjos

O colecionador de obras e procurador do Estado de Sergipe, Mário Britto, lançou neste ano o livro "Um Sentir Sobre as Artes Visuais em Sergipe". O coquetel de lançamento da obra aconteceu no dia 26 de setembro, na Galeria Jenner Augusto (Sociedade Semear), mesmo lugar em que foi feita a exposição que levou o mesmo nome do livro.




[caption id="attachment_4383" align="alignleft" width="150"]Foto: Divulgação Mário Britto Foto: Divulgação Mário Britto[/caption]

O evento reuniu vários artistas e apreciadores da arte de Sergipe e de outros estados. O renomado designer de produtos Zanini de Zanine, filho do multitalentoso José Zanine Caldas, nome conhecido dentro do paisagismo e da arquitetura brasileira ganhou o livro essa semana.


Vários exemplares do livro foram distribuídos no coquetel, e Zanini foi um dos presenteados. O designer carioca tanto curtiu a iniciativa de Mário Britto, que chegou a postar uma foto com o livro em sua página social.




[caption id="attachment_4384" align="alignright" width="150"]Foto: Divulgação Zanini Foto: Divulgação Zanini[/caption]

Zanini, como muitos outros artistas brasileiros, reconhece a importância das 50 obras de 50 artistas sergipanos reunidas no livro e na exposição "Um Sentir Sobre as Artes Visuais em Sergipe".


Ao ceder seu acervo para a contemplação de quem visitasse a exposição, Mário Britto tinha o claro intuito de democratizar o acesso às obras de arte que detém.


Movido pela crença de que "a arte não pode permanecer aprisionada a ninguém, ela deve estar livre para cumprir o seu papel: que é ser contemplada" - palavras estas do próprio colecionador e procurador - Britto teve não só a iniciativa de realizar uma exposição de seu acervo pessoal, como ainda publicou um livro sobre as artes visuais locais, tudo isso com o objetivo de que as obras regionais fiquem conhecidas pra lá das fronteiras de Sergipe.




[caption id="attachment_4385" align="alignleft" width="350"]Foto: Divulgação / Este é trabalho de uma série que Mário Britto terminou recentemente. Óleo sobre tela 70X50cm datado 2014 Foto: Divulgação / Quadro pintado para Mário Britto por Gervásio Teixeira, artista sergipano, radicado no Rio de Janeiro[/caption]

"Um Sentir Sobre as Artes Visuais em Sergipe" é o sétimo livro publicado de Mário Britto. Com capa dura e 282 páginas, todas escritas em português e inglês, a obra introduz as obras e as biografias de vários artistas sergipanos ou que fizeram carreira no estado, entre eles: Leonardo Alencar, Antônio da Cruz, Tintiliano, Baltazar Goes, Bené Santana, Beto Pezão, Caã, Zeus, Deolando, Dionéa Petterson, Elias Santos, Eurico Luiz, Fábio Sampaio, Véio, Fábio Pamplona, Félix Mendes, Florival Santos, Pablo Menezes, Gervásio Teixeira, Horácio Hora, Hortência Barreto, Humberto Filho, Ismael Pereira, J. Inácio, Jenner Augusto e Lúcio Teles.

© Todos os direitos reservados 2009 - 2020 - D`Anjos Web Service - DE OLHO NA MÍDIA