Nessas horas de agonia, Eduardo Cunha não pode esquecer PC Farias - DE OLHO NA MÍDIA

Responsive Ad Slot

 

Nessas horas de agonia, Eduardo Cunha não pode esquecer PC Farias

03 março 2016

/ DE OLHO NA MÍDIA

Texto por: Abrahão Crispim Filho


Fundo do Baú


Nessas horas de agonia, Eduardo Cunha não pode esquecer PC Farias, o mentor e padrinho dele. Se você perdeu este episódio da história brasileira recente ou não se lembra de direito, PC Farias era o alagoano Paulo César Farias, "tesoureiro" de Fernando Collor nos idos de 1989, na campanha da primeira eleição depois da ditadura militar.


O antigo Paulo Gasolina, que começou a carreira trapaceando com combustíveis, mesmo depois de Collor presidente seguiu achacando empresários a contribuir com o bilionário cofre de Fernando Collor. Com ele, Eduardo Cunha fez pós-graduação em trampolinagem e ladroagem, com ele tornou-se o "operador" que em décadas no ofício virou um dos cleptocratas mais bem-sucedidos o país. E, como ele, inicia hoje a descida ao Inferno. Boa viagem em boa companhia.






© Todos os direitos reservados 2009 - 2020 - D`Anjos Web Service - DE OLHO NA MÍDIA