MYANMAR, um dos lugares inusitados para viajar na Ásia! - DE OLHO NA MÍDIA

Responsive Ad Slot

 

MYANMAR, um dos lugares inusitados para viajar na Ásia!

28 março 2017

/ DE OLHO NA MÍDIA
Por: Thiago de Menezes / thiagoturismo@deolhonamidia.com

O Myanmar, antiga Birmânia, é o país famoso por sua arquitetura, especialmente os pagodas. Vamos conhecer mais sobre essa encantadora nação cuja cultura do país baseia-se no budismo theravada, temperado por elementos locais!


Não faz muito tempo que Myanmar abriu para o turismo e por isso possui muitos lugares que não fazem parte dos roteiros tradicionais.

Conhecido como um dos destinos mais misteriosos e inexplorados do mundo, o país exala beleza e charme com sua exuberante natureza de florestas virgens, montanhas nevadas, e relaxantes praias, combinadas com heranças de cidades anciãs e sítios arqueológicos extraordinários com templos, stupas e diversos monumentos de Budha, revelando uma cultura milenar.

Myanmar, Mianmar, Mianmá, Miamar ou Birmânia (oficialmente União de Myanmar) é um país do sul da Ásia continental limitado ao norte e nordeste pela China, a leste pelo Laos, a sudeste pela Tailândia, ao sul pelo Mar de Andamão e pelo Canal do Coco, a oeste pelo Golfo de Bengala e a noroeste por Bangladesh e pela Índia. Em 2006, a capital do país foi transferida de Rangum para Naypyidaw.  Myanmar é um dos países com maior taxa de crescimento do mundo: superior á 7%.

A Birmânia tornou-se independente do Reino Unido em 1948, com o nome oficial de União da Birmânia, designação que voltou a adotar após um período como "República Socialista da União da Birmânia" (de 1974 a 1988). Em 18 de junho de 1989, o regime militar birmanês anunciou que o nome oficial do país passaria a ser União de Myanmar. A nova designação foi reconhecida pelas Nações Unidas e pela União Europeia, mas não pelos governos dos EUA e Reino Unido.

A diversa população birmanesa teve papel fundamental para definir a política, história e demografia do país nos tempos modernos.

Seu sistema político é hoje mantido sob controle estrito do Conselho de Estado para a Paz e o Desenvolvimento - o governo militar chefiado, desde 1992, pelo General Than Shwe.

As forças armadas birmanesas controlam o governo desde que o General Ne Win desfechou um golpe de Estado em 1962 para derrubar o governo civil de U Nu.

Integrante do Império Britânico até 1948, a Birmânia continua a enfrentar tensões étnicas. O regime político atual é presidencialista representativo, sendo o Sr. Thein Sein o Presidente eleito em 2010. A próxima eleição parlamentar será no próximo mês de novembro.

Para se comunicar por lá, sabemos que o inglês mais básico é ensinado nas escolas e, portanto, serve para uma comunicação simples entre a população, no geral.

Um dos locais mais fascinantes é Bagan, a antiga capital birmanesa. Lá você pode alugar uma bicicleta e deixar se perde. Converse com os moradores locais que vão de agricultores á monges aposentados que vivem em pagodes isolados. Antes que o local se torne conhecido por todos, vá andar de barco no lago Inle, explore uma caverna e aprecie o pôr-do-sol em Shwedagon Paya.

Além dos pontos de interesses turísticos, é uma boa região para compras exóticas, sendo que belos e tradicionais objetos laqueados e tecidos são os produtos mais populares do país.

O Kyat (pronuncia-se tchat) é a moeda local. Um dólar vale oficialmente 6 kyats; entretanto, no câmbio negro vale em torno de 1000 kyats. O câmbio negro é ilegal, mas comum, em mercados, joalherias, lojas e agências de turismo. Há notas com valores estranhos, como 15 ou 35. Cartões de crédito são pouco aceitos, enquanto cheques de viagem nunca o são. Notas de dólar ou euro devem estar novas, sem dobraduras ou rabiscos.

Mas, atenção, as notas de 100 dólares com numeração iniciada por "CB" são vistas como suspeitas de falsas.

Embora haja uma pletora de culturas locais em Myanmar, a cultura da maioria é principalmente budista e birmane, sendo essa que foi continuamente influenciada pela dos países vizinhos. As artes em geral e a literatura em particular foram fortemente influenciadas pela forma birmanesa do budismo teravada. Considerado o épico nacional de Myanmar, o Yama Zatdaw é uma adaptação do ramaiana e foi muito influenciado pelas versões tailandesa, mon e indiana do texto. O budismo é praticado juntamente com a adoração dos nats (espíritos) e os conflitos religiosos atuais, embora existam, estão sendo controlados e reduzidos pelo governo.

Abrigando 135 grupos étnicos diferentes, onde a maioria segue o budismo como cultura principal, sendo praticado junto com a adoração dos nats (espíritos). Por exemplo, num vilarejo birmanês tradicional, o mosteiro é o centro da vida cultural e os monges são venerados e apoiados pelos leigos. Todos os meninos de famílias budistas devem tornar-se noviços e monges, mesmo que por pouco tempo, então é normal encontram novatos aspirantes a monges enquanto se passeia em qualquer lugar.

A melhor época de visitar Myanmar é entre novembro e fevereiro, quando tantos as chuvas, quanto as temperaturas caem, deixando um clima mais agradável para aproveitar os passeios. A população é muito hospitaleira e recebe os turistas calorosamente, devido a isso, dizem que as melhoras boas vindas asiáticas vêm deste magnífico país.

Obs: É preciso ter visto para brasileiros entrarem no país.

Indicamos procurar, assim como para maiores informações, as seguintes:

Embaixada em Brasília da República da União de Myanmar

Embassy of the Union of Myanmar

SHIS QI 07, Conjunto 14, Casa 05

Brasilia – DF / CEP: 71615-340

www.myanmarbsb.org

Consulate of the Republic of the Union of Myanmar – São Paulo

Sr. Cônsul Ricardo Cury

Endereço: Av. Paulista, 1499 - 12º. Andar

São Paulo - SP Cep: 01311-200

Telefones: (0xx11) 3082-1922

Fax: (0xx11) 3082-1777 - ral. 221

Email: consuladomiyanmarsp@terra.com.br




 
© Todos os direitos reservados 2009 - 2020 - D`Anjos Web Service - DE OLHO NA MÍDIA