Brumadinho: Engenheiros são presos que garantiram segurança - DE OLHO NA MÍDIA

Responsive Ad Slot


Brumadinho: Engenheiros são presos que garantiram segurança

29 janeiro 2019

/ DE OLHO NA MÍDIA
Da redação de olho na mídia / Meio

Foto © Fornecida por divulgação


Foram presos agora de manhã os engenheiros que atestaram a segurança da barragem 1, que rompeu na sexta em Brumadinho. Não deve ficar só nisso. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, abriu a porta para que os executivos da Vale sejam processados individualmente pela tragédia ocorrida em Brumadinho. 

Para Dodge, a prioridade é socorro às famílias das vítimas, muitas das quais perderam também o financiamento de suas vidas. “Também é preciso ter uma responsabilidade séria, do ponto de vista indenizatório, da empresa”, ela continuou. “Executivos também podem ser penalizados.” Ela se reúne hoje com o presidente do STF, José Dias Toffoli, para definir o rumo que o Ministério Público tomará. Baskut Tuncak, responsável na ONU por temas ligados a substâncias tóxicas, seguiu por linha parecida. “Deveria ser investigado como um crime”, disse à BBC. “É particularmente preocupante que especialistas ambientais tenham expressado preocupação sobre o potencial de rompimento da barragem.” O rompimento não surpreende.

Pois é... Caiu no esquecimento, mas foi Aécio Neves, com sua profunda influência na política mineira, quem indicou Fabio Schvartsman para a presidência da Vale. A informação — negada pela empresa — fez parte da delação premiada de Joesley Batista, como registrou a Folha, em 2017.

Então... As ações da mineradora caíram quase 25% fazendo com que a empresa perdesse R$ 71 bilhões em valor de mercado. Ontem, teve a maior perda em um dia já registrada na bolsa brasileira. Segundo o vice-presidente Hamilton Mourão, o governo estuda afastar a diretoria. A União ainda é uma das maiores acionistas. (Estadão)

A Samarco, que tem a Vale entre suas acionistas, ainda não pagou nenhum centavo dos R$ 350 milhões que deve ao Ibama em multas por conta do rompimento da barragem em Mariana, há três anos. (Globo)

Este pode ter sido o mais grave acidente envolvendo barragens de rejeitos de minérios em três décadas. No relatório da ONU sobre o assunto, o Brasil é um dos destaques negativos.

Conheça: O tenente Pedro Aihara, dos Bombeiros de Minas, se tornou o rosto constante perante as câmeras, no papel de porta-voz da operação de resgate. Aos 26 anos, vem se mostrando sempre sério, sempre claro, e às vezes com uma dose de emoção. No El País, Heloísa Mendonça o apresenta.

Segundo os números oficiais na manhã desta terça, há 65 mortos e 279 desaparecidos.
© Todos os direitos reservados 2009 - 2018 - D`Anjos Web Service - De olho na mídia / Mk Designer